Envios grátis para encomendas na UE, a partir de 45 euros.

Urtigas

As urtigas são uma das ervas daninhas mais conhecidas a nível mundial, e preferem um solo rico e húmido. São um indicador da qualidade do solo. Têm sido utilizadas como alimento, medicina e mesmo fibra durante milhares de anos: como material têxtil, foi considerado melhor do que o algodão ou o linho.

Hoje em dia, vemos de novo um interesse crescente a este respeito, motivado pela preocupação com os danos ambientais causados pela produção de tecidos como o algodão. Na caça a tecidos novos e ecológicos, a fibra de urtiga picada surgiu com cheiro de rosas.
Urtigas: altas, orgulhosas e um pouco hostis, a desagradável sensação de picada que provocam quando tocadas é causada pelo ácido fórmico e histamina alojados nos seus pequenos pêlos que cobrem os caules e as folhas. Os pêlos afiados penetram na pele, quebram-se, e libertam os seus químicos. No entanto, esta "primeira impressão" não deve mantê-lo afastado deles: eles são benéficos de muitas maneiras.


Erva daninha medicinal


A acção nutritiva e medicinal da urtiga é atribuída ao seu rico conteúdo em vitaminas, minerais, aminoácidos e clorofila, bem como em ácido fórmico. Contém cálcio, magnésio, sílica, ferro e vitaminas A, C, E, e K em abundância.

Uma boa maneira de beneficiar das virtudes da urtiga é beber uma infusão feita com as suas folhas: estará a colocar no seu corpo uma variedade de minerais. Quando eu estava grávida (aconselhada pela minha parteira), costumava beber muito!

As urtigas são também uma das mais ricas fontes de antioxidantes entre os vegetais de folhas verdes: foram identificados elevados teores de clorofila, tocoferol e carotenos em folhas e rebentos de urtiga. Todas estas substâncias são conhecidas por serem protectoras e terem propriedades regenerativas e anti-inflamatórias para a pele, mantendo-a saudável e resplandecente.

Deixe um comentário

Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos

Português